quinta-feira, abril 17, 2008

«O Homem sem Qualidades»

Notícia retirada do Diário Digital

Os dois primeiros volumes da primeira tradução portuguesa integral do romance de Robert Musil «O Homem sem Qualidades», um dos grandes clássicos do século XX, com mais de duas mil páginas, vão ser apresentados dia 28 de Abril, em Lisboa.

É também a primeira tradução feita directamente do alemão, por João Barrento, com a chancela da Dom Quixote, a editora que está a publicar a obra completa daquele romancista austríaco, falecido em 1942.

A apresentação dos livros decorrerá no Goethe Institut, onde dois actores profissionais irão ler alguns excertos do romance.(Nos anos setenta, saiu em Portugal uma tradução do mesmo romance, mas feita a partir da versão francesa e que não incluía o terceiro volume, publicado já depois da morte do escritor).

O «Homem sem Qualidades» - disse João Barrento à agência Lusa - «é um romance singular, que não tem muitos paralelos na história da literatura do seculo XX, e que mantém muita actualidade». A acção passa-se no início do seculo XX, antes da I Guerra Mundial, «numa época efervescente, em que havia também muitas novidades, científicas e outras, mas em que a sociedade era dominada por uma certa apatia e a política era ôca», precisou.

«O homem sem qualidades», que ocupou Musil durante os últimos quinze anos da sua vida, é hoje considerado uma das obras mais influentes da literatura moderna, ao lado de «Ulisses», de James Joyce, e de «À procura do tempo perdido», de Marcel Proust.Segundo o tradutor, o terceiro volume do romance deverá ser publicado no início de 2009.

«Foi uma das maiores e mais exigentes traduções que fiz», disse Joao Barrento, um dos mais prestigiados tradutores portugueses de alemao e que assinou, entre outras, a tradução de «Fausto» de Goethe.

Diário Digital / Lusa

1 comentário:

AQF disse...

É um livro incrível, a tradução, excelente também.